quarta-feira, 7 de julho de 2010

FÉRIAS DE JULHO: PRECAUÇÃO É O MELHOR CAMINHO.

Na hora de pegar a estrada para viajar – prática muito comum durante o mês de julho, por conta do intervalo escolar – é importante tomar alguns cuidados básicos, que começam pela revisão do veículo e certificação de que todos os passageiros estão seguros.

Neste caso, a prevenção faz toda a diferença. Embora as falhas mecânicas correspondam a uma pequena parcela das causas de acidentes, a manutenção do motor, pneus e freios pode impedir colisões. Nenhum planejamento ou cuidado com o veículo, no entanto, é suficiente, caso o motorista e os passageiros ignorem as leis de trânsito. Usar os dispositivos de segurança, respeitar a sinalização e dirigir dentro dos limites de velocidade são exigências mínimas.

Segundo o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), em 2008, foram registradas 22.472 vítimas não fatais de acidentes de trânsito, com idade entre zero e 12 anos e 802 vítimas fatais de mesma faixa etária. Tema da campanha da Semana Nacional de Trânsito, do Denatran destaca a importância do uso do cinto de segurança – uma medida simples que pode salvar vidas: uso do cinto pelo condutor e pelo passageiro do banco dianteiro reduz em 50% o risco de morte em uma colisão de trânsito.

Apesar disso, um estudo realizado pela Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia indica que apenas 11% dos passageiros utilizam o cinto no banco traseiro. O risco de morte de um condutor utilizando o cinto de segurança, como resultado de um passageiro do banco traseiro sem cinto, é cinco vezes maior do que seria se esse passageiro estivesse retido pelo cinto.

Segundo Marcus Romaro, gerente técnico do CESVI BRASIL – Centro de Experimentação e Segurança Viária, o uso do cinto de segurança aliado a outros dispositivos, é bastante eficaz. “O cinto de segurança proporciona um alto índice de proteção, porém dependendo da intensidade da colisão, existem casos em que o peito do motorista ou do passageiro pode tocar o volante ou até mesmo o painel”, avalia. Segundo ele: “Nessas situações, o air bag atua minimizando ainda mais os riscos de lesões graves e/ou fatais. Além de segurar o corpo dos ocupantes para dar tempo que a bolsa do air bag infle totalmente, o cinto de segurança garante a trajetória segura dos mesmos em direção à bolsa”, completa.

Dados do CESVI (2008) apontam que, considerando apenas os condutores de automóveis e caminhonetas, o potencial do air bag pode salvar a vida de aproximadamente 490 pessoas (1,4% dos 35 mil que morrem por ano) que hoje morrem no trânsito no Brasil, ou evitar ferimentos em mais de 10 mil pessoas, em média, proporcionando um impacto econômico positivo de cerca de 315 milhões de reais por ano.

Isso significa que, se a taxa de adesão ao uso do cinto de segurança aumentasse em 10%, aproximadamente 1.600 mortes poderiam ser evitadas por ano.

CHECK LIST - Verificar faróis e luzes, pneus e estepe, freios e suspensão, combustível e óleo, os limpadores de para-brisas. Dê atenção especial ao sistema elétrico do automóvel e, por fim, veja se os seus documentos e do veículo estão em dia.

NA ESTRADA – Respeite o limite de velocidade da pista e tome cuidado com pedestres e ciclistas nas áreas urbanas das rodovias para evitar acidentes. Sempre que for ultrapassar algum veículo, dê seta e deixe-a ligada. Antes de passar por caminhões e ônibus, dê uma leve piscada de farol ou um toque na buzina. Quando estiver dirigindo sob neblina, nunca ligue os faróis altos, ele só prejudica a visibilidade. O correto é ligar os faróis baixos ou, se possuir, os faróis de neblina.

CAMPANHA CHEGA DE ACIDENTES

Oriunda de um Plano Nacional de Segurança Viária no Brasil, a campanha Chega de Acidentes objetiva expor a insegurança no trânsito do país. Para isso, um relógio virtual estima a evolução da quantidade de vítimas fatais e não fatais no Brasil e o impacto econômico dos acidentes e suas vítimas. A contagem começou no início da Semana Nacional de Trânsito 2009, dia 18 de setembro e continuará até que o Plano seja implantado.

O movimento é realizado pela Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego); ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos) e Cesvi Brasil e contacom diversas entidades apoiadoras. “A Perkons apóia esta iniciativa porque luta pela preservação da vida. O número de vítimas fatais em decorrência de acidentes de trânsito ainda é muito alto no Brasil. Acreditamos que somente a combinação de políticas e leis adequadas, fiscalização e educação, é que pode mudar este quadro. A sociedade precisa se sensibilizar para isto”, diz o diretor da Perkons, Walter Alberto Schause.

Fonte: Portal do Trânsito

Nenhum comentário:

Postar um comentário