domingo, 15 de agosto de 2010

NOVA LEI DEVE BENEFICIAR 140 MIL INSTRUTORES DE TRÂNSITO.

Projeto (PL 1036/07) que regulamenta a profissão de instrutor de trânsito, sancionado pelo presidente da República, deve beneficiar cerca de 140 mil profissionais em todo o país.

Agora, para se tornar instrutor, o motorista deve ter mais de dois anos de carteira de habilitação profissional, do tipo "D", e um curso de formação, além de não ter sofrido nenhum tipo de penalidade, como suspensão de carteira.

Quem cometer falta grave ou gravíssima poderá ter, após processo de investigação, 60 dias de suspensão - e não mais um ano, como era antes.

Além disso, como não havia uma lei federal, os Detrans estaduais estabeleciam outras penalidades, destacou o presidente do Sindicato dos Instrutores e Empregados em Auto e Moto-Escola do Distrito Federal.

Eli de Deus Almeida ressaltou que a matéria foi aprovada em apenas dois anos e meio, enquanto algumas categorias lutam há 20 anos para conseguir a regulamentação.

"Essa lei foi uma grande luta da categoria, um grande anseio da categoria. E foi fruto de várias mobilizações, de várias buscas dentro do Congresso Nacional para fazer com que a Casa legislativa da República enxergasse o instrutor de trânsito, que até então se falava muito de acidentalidade e de mortalidade no trânsito, mas nunca se lembraram do profissional que educa para o trânsito."

O autor do projeto, deputado Geraldo Magela, do PT do Distrito Federal, falou que a regulamentação vai melhorar as condições de trabalho do instrutor de trânsito.

"O instrutor de trânsito, ele é um professor. Ele é uma pessoa que ensina aquele que vai ser motorista. Ou seja: é uma profissão muito importante porque o instrutor de trânsito fica o dia inteiro ensinando pessoas que depois vão pegar o carro, vão para as ruas, vão para as rodovias. E têm portanto os intrutores uma responsabilidade muito grande. É uma atividade penosa, é uma atividade difícil. A pessoa tem um tensionamento praticamente todos os dias, porque está ensinando os alunos na rua, no próprio trânsito. Então, nós estamos agora dando a esse segmento o reconhecimento da profissão, para que ele possa ter melhores condições de trabalho."

Geraldo Magela falou que a nova lei é um ganho para a sociedade, que terá um profissional melhor qualificado, treinado e mais valorizado.

Fonte: Agência Câmara

Nenhum comentário:

Postar um comentário