quinta-feira, 30 de junho de 2011

CPRv REGISTRA 26 ACIDENTES COM TRÊS MORTES DURANTE OPERAÇÃO FESTEJOS JUNINOS.

A Companhia de Polícia Rodoviária Estadual (CPRv), divulgou na tarde desta quinta-feira, 30, o balanço final da Operação Festejos Juninos, realizada desde o dia 22 de junho nas estradas sergipanas.

A operação, que foi finalizada nas primeiras horas desta quinta-feira, registrou 26 acidentes de trânsito. “Destas ocorrências, desconsiderando aqueles casos onde houve apenas danos materiais de pequena monta, tivemos 14 vítimas lesionadas e três vítimas com morte já no local do acidente. As ocorrências onde registramos mortes aconteceram em Japaratuba, Poço Verde e Salgado”, destacou o capitão Walcyr Mendonça Silva, comandante da CPRv.

Em relação ao mesmo período de festejos juninos do ano passado, é possível afirmar que houve um aumento de 85% no número de acidentes nas rodovias estaduais, onde foram computadas 14 situações deste tipo. “Este ano, nossa Operação aplicou 167 autuações, recolheu 13 veículos, seis Carteiras Nacionais de Habilitação (CNH) e oito Certificados de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV)”, completou o capitão Walcyr.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

CPRv DIVULGA BALANÇO DO FERIADÃO DE CORPUS CRISTHI E SÃO JOÃO NAS RODOVIAS ESTADUAIS.

A Companhia de Polícia Rodoviária Estadual (CPRv) divulga o balanço das ocorrências atendidas durante o feriadão de Corpus Cristhi e São João, nas rodovias que cortam o Estado de Sergipe.

Da quinta-feira, 23, até manhã de segunda-feira, 27, foram registrados 18 acidentes nas rodovias estaduais, dos quais 10 ocorreram entre a noite do dia 24 e a madrugada do dia 25, deixando oito vítimas lesionadas e dois óbitos no local dos acidentes.

Os que mais chamaram a atenção foi uma saída de pista seguida de capotamento na rodovia SE 100 entre os povoados Aguilhadas e São José, no município de Japaratuba, onde o condutor e um passageiro foram hospitalizados e outro passageiro veio a óbito no local. O outro foi um atropelamento na SE 361, na cidade de Poço Verde, onde o condutor evadiu-se e a vítima morreu no local, durante o atendimento à ocorrência uma motocicleta colidiu com a viatura da CPRv, causando apenas danos materiais.

Foram preenchidos nesses quatro dias 114 autos de infração, foram recolhidos dez veículos, cinco Carteiras de Habilitação (CNH) e oito Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), além da confecção de dois autos de constatação de embriagues, onde o motorista se recusa a fazer o teste do etilômetro.

Para o comandante da subunidade, capitão Walcyr, “há constatação no aumento do número de acidentes nas rodovias estaduais, ainda que os resultados danosos não tenham sido maiores quando comparado com o mesmo período do ano passado.” A Operação Festejos Juninos continua ate a manhã da quinta-feira, 30, “vamos intensificar o policiamento e fiscalização nesses próximos dias da Operação, objetivando proteger e salva guardar vidas” complementou o capitão.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

CPRv DIVULGA BALANÇO DA OPERAÇÃO FESTEJOS JUNINOS NAS RODOVIAS ESTADUAIS.

A Polícia Militar do Estado de Sergipe, através da Companhia de Polícia Estadual de Trânsito (CPRv), divulga o balanço das ocorrências atendidas pelas equipes da Subunidade de trânsito na Operação Festejos Juninos até o final desta quinta-feira, 23, feriado de Corpus Cristhi e véspera de São João.

Segundo os dados da CPRv, foi registrado um acidente nas rodovias estaduais que cortam Sergipe. A ocorrência, que envolveu dois carros de passeio, se deu na Rodovia SE 270, no Povoado Tabocas, município de Lagarto, às 21h da quarta-feira, 22, e deixou apenas danos materiais.

Operação Festejos Juninos

A ação, que visa minimizar as ocorrências de acidentes de trânsito nas rodovias estaduais, teve início na manhã da quarta-feira, 22, e se estende até a quinta-feira, 30, envolvendo cerca de 180 policiais militares.

Durante a operação, o policiamento de trânsito nas principais rodovias e nos acessos às cidades com tradição nos festejos juninos é intensificado. Nestes pontos, a CPRv realiza fiscalizações contínuas, com a utilização de 20 bafômetros, 20 viaturas e quatro motocicletas.

domingo, 19 de junho de 2011

CPRv REALIZA "OPERAÇÃO FESTEJOS JUNINOS" NAS RODOVIAS ESTADUAIS.



A Polícia Militar através da CPRv estará desencadeando no período de 22 a 30 de junho de 2011, A OPERAÇÃO FESTEJOS JUNINOS NAS RODOVIAS ESTADUAIS. O principal objetivo da operação será tentar minimizar as ocorrências de acidentes de trânsito, preservando desta maneira a vida dos condutores e passageiros.

A CPRv estará intensificando o policiamento de trânsito nas principais rodovias estaduais, bem como nos acessos às cidades com tradições nos festejos juninos a exemplo de: Capela, Itaporanga d´Ajuda, Nossa Senhora do Socorro, Muribeca e Indiaroba, onde serão efetuadas fiscalizações contínuas com a utilização dos 20 etilômetros (Bafômetros) existentes na companhia.

Durante a operação deste ano o comando da CPRv estará empregando um efetivo em torno de 180 policiais rodoviários distribuídos no policiamento normal dos postos e em escalas extras. O efetivo contará com o apoio de 20 viaturas operacionais, 04 motocicletas e vários equipamentos de sinalização, objetivando proporcionar aos condutores uma maior segurança e tranqüilidade nas rodovias.

No mesmo período do ano passado foram registrados pela CPRv 14 acidentes de trânsito, com 12 vítimas lesionadas e 02 vítimas fatais.

sábado, 18 de junho de 2011

COM O OBJETIVO DE MELHORAR A VISIBILIDADE DOS MOTORISTAS, RESOLUÇÃO DO CONTRAN PROÍBE A INSTALAÇÃO DE FARÓIS DE XENON EM VEÍCULOS QUE NÃO SAIAM DE FÁBRICA COM ESSE SISTEMA, SOB PENA DE MULTA.

A resolução 384 do Contran (Conselho Nacional do Trânsito) publicada no dia 7 de junho, proíbe a instalação de faróis de xenon em veículos que não saiam da fábrica com este sistema de iluminação. De acordo com o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, perito em medicina do trânsito e membro da ABRAMET (Associação Brasileira de Medicina do Tráfego), em 2009 o Contran determinou que só podiam circular com faróis de xenon os veículos que saíssem da fábrica com o dispositivo ou que tivessem certificado de inspeção. Para isso, os faróis precisavam ter limpador automático e as lâmpadas se ajustarem de acordo com a inclinação das vias. Uma transformação cara, em torno de 2 mil reais, que se transformou em febre entre os aficionados em carro. Depois da resolução 384, quem não voltar ao modelo original paga uma multa de 127,69 reais e ganha 5 pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação). E não adianta apelar para outro tipo de alteração na iluminação como, por exemplo, aplicar pintura, adesivo ou película. A resolução 383 do Contran também proíbe este tipo de mudança. Queiroz Neto explica que este tipo de interferência nos faróis pode dispersar a luz e por isso também provoca ofuscamento.

Luz intensa afeta a visão

O médico afirma que não há dúvida de que os faróis de xenon permitem ao motorista enxergar a estrada mais claramente. Isso porque, emitem luminosidade uniforme. O problema destaca, é que produzem três vezes mais brilho. Por isso, provocam fotofobia (aversão à luz). O ofuscamento dos motoristas que dirigem contra chega a causar cegueira momentânea, aumentando o risco de acidentes, ressalta. Mesmo quem tem visão perfeita podem sentir este tipo de dificuldade. A dificuldade de adaptação à luminosidade também tem como causas comuns o astigmatismo (vício de refração que deforma a córnea), catarata (opacificação do cristalino) e olho seco (redução da quantidade ou qualidade de lágrima). Com menor freqüência, diz, a fotofobia também é provocada por alergia, trauma ou cicatriz na córnea, inflamações e infecções. A recomendação do especialista para quem tem o problema é passar por consulta com um oftalmologista. A terapia, observa, varia de acordo com a causa. O médico lembra que dados do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) mostram que o Brasil tem 4,5 milhões de motoristas com mais de 55 anos. A partir dessa idade, destaca, as alterações na fisiologia do olho dificultam ainda mais a adaptação da visão aos diferentes níveis de luminosidade. Motoristas com mais de 60 anos que já foram operados de catarata têm maior dificuldade de dirigir contra o fluxo porque a pupila contrai.

Como proteger os olhos no trânsito

Para Queiroz Neto as resoluções podem diminuir o risco de acidentes, mas os olhos de quem dirige continuam expostos e precisam ser examinados anualmente. No caso de motoristas que têm fotofobia, ele diz que o mais adequado é dirigir durante o dia com óculos escuros. No crepúsculo do entardecer, lentes âmbar são indicadas, inclusive para quem não enxerga bem, porque melhoram a visão de contraste. Já à noite, lentes amarelas reduzem o ofuscamento provocado pelos faróis. No Brasil, ressalta, cerca de 35% dos motoristas precisam usar lentes oftálmicas. A recomendação para quem diariamente permanece exposto ao sol por longos períodos é proteger os olhos do ultravioleta com lentes que filtrem 100% da radiação para evitar as doenças desencadeadas pelo UV.

Fonte:  Acontece em Sergipe

quinta-feira, 9 de junho de 2011

CARRO QUE GASTA E POLUI MENOS TERÁ IPI REDUZIDO.

O governo quer acabar com o automóvel “gastão” e vai reduzir o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para veículos menos poluentes. Ao contrário dos incentivos dados às montadoras durante a crise financeira internacional, a nova política será permanente. Em contrapartida, as empresas terão de investir em tecnologia para desenvolver motores mais eficientes e que emitam uma menor quantidade de gases nocivos ao meio ambiente, como o CO2. A nova política deve fazer com que a demanda por etanol e gasolina seja menor.

Além de buscar a redução do uso de combustíveis, o governo elabora uma série de medidas para evitar oscilações drásticas dos preços do etanol. Essa volatilidade é consequência dos períodos de safra e entressafra da cana-de-açúcar. Quando os canaviais estão produtivos, o preço do produto cai nas bombas e, no intervalo entre o fim da produção e início de nova plantação, dispara.

A discussão passa por três eixos: emissão/eficiência, tecnologia e competitividade. A necessidade de redução de poluentes é consenso, mas para técnicos do Ministério da Agricultura, essa mudança tem de vir com maior eficiência dos motores a combustão. Para o governo, o carro brasileiro é “gastão” e a indústria tem condições de reduzir o consumo energético.

A dificuldade em aperfeiçoar os veículos estaria na pressão das montadoras, grandes empregadoras e pagadoras de impostos. O governo considera como ideal o modelo europeu, no qual carros com motores mais potentes são menos poluentes que no Brasil.

Fonte: Jornal da Tarde

terça-feira, 7 de junho de 2011

DENATRAN SUGERE RESTRIÇÃO DE MOTOS PARA REDUZIR ACIDENTES.

O diretor do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), Orlando Moreira, sugeriu restringir a circulação de motocicletas como forma de diminuir o número de acidentes e negou que haja problemas de hierarquia na gestão do trânsito no Brasil.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), 20% das mortes no trânsito no país vitimam condutores ou passageiros de motocicletas, o dobro do registrado entre condutores ou passageiros de veículos com quatro rodas. O percentual de motociclistas entre as vítimas no Brasil é oito pontos maior do que a proporção média mundial, de 12%.

Para Moreira, os índices deveriam estimular restrições à circulação de motocicletas em vias rápidas, como as já aplicadas em certos pontos da cidade de São Paulo.

O diretor defendeu também a modificação do Código de Trânsito Brasileiro, para que motocicletas sejam impedidas de se deslocar entre os carros.

Aprovado em 1998, o código continha um artigo que proibia a circulação de motocicletas entre as faixas de rolamento dos demais veículos, mas o item foi vetado pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso. Agora, afirma Moreira, estuda-se a reincorporação do artigo.

Segundo o Ministério da Saúde, os gastos com acidentes de moto dobraram entre 2007 e 2010, ano em que houve 150 mil internações relacionadas à ocorrência. Os dados fizeram com que o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, dissesse no início do mês que o Brasil vive uma “epidemia de acidentes de motocicleta.”

HIERARQUIA

Em resposta às críticas de analistas ouvidos pela BBC Brasil, que citam a “fragilidade institucional” dos órgãos que gerem o trânsito no país entre as causas para o alto número de mortes, Moreira diz que o Contran (Conselho Nacional de Trânsito), responsável por coordenar o Sistema Nacional de Trânsito, é integrado por vários ministros.
“O trânsito não é tarefa para um único ministério”, diz.

Ainda assim, afirma que a transformação do Denatran numa autarquia, prevista em projeto que tramita no Congresso, seria bem-vinda, pois garantiria ao órgão autonomia financeira.

Embora considere os atuais índices brasileiros de mortalidade no tráfego “inadmissíveis e preocupantes”, Moreira diz confiar num programa recém-lançado pelo órgão para melhorar as estatísticas.

O Pacto Nacional pela Redução de Acidentes no Trânsito, afirma ele, se assentará nos cinco pilares seguintes, em ordem de importância: fiscalização, educação, saúde, infraestrutura viária e segurança veicular.

Segundo o diretor, a ênfase em fiscalização e educação se justifica porque 80% dos acidentes no Brasil são causados por falhas humanas, como excesso de velocidade, imprudência e a recusa a usar capacete e cinto de segurança.

Fonte: Folha.com