quarta-feira, 21 de maio de 2014

REGISTRO DE ACIDENTES COM ANIMAIS SOLTOS NAS RODOVIAS ESTADUAIS VEM DIMINUINDO.


Durante os quatro primeiros meses de 2014, a Companhia de Polícia Rodoviária Estadual (CPRv) registrou um total de 10 (dez) acidentes envolvendo animais soltos nas rodovias, no mesmo período de 2013 foram registrados 20 acidentes envolvendo animais, efetuado-se um comparativo verificasse uma redução de 100% no número desse tipo de acidente.

O comando da CPRv acredita que essa redução é devido ao trabalho preventivo de recolhimento de animais que vem sendo intensificado pela Companhia de Polícia Rodovia Estadual desde do ano de 2012, onde nesse período (de 2012 a 2014), foram recolhidos um total de 945 (novecentos e quarenta e cinco) animais soltos nas rodovias. Para realizar esse tipo de trabalho a CPRv dispõe de dois caminhões boiadeiros adquiridos pelo Departamento Estadual de Trânsito – DETRAN/SE.

Apesar da redução do número de acidentes envolvendo animais soltos, esse tipo de acidente vem vitimando varias pessoas devido a gravidade do acidente. Durante o ano de 2013 a CPRv registrou 07 (sete) mortes, com 12 (doze) pessoas lesionadas, já este ano foram registrados 04 (quatro) mortes, com 05 (cinco) pessoas lesionadas em acidentes envolvendo animais soltos.

Os municípios com mais registros desse tipo de acidente são: Lagarto (rodovia SE 270), Neópolis (rodovia SE 335), Barra dos Coqueiros (rodovia SE 100), Tobias Barreto (rodovia SE 170), Estância (rodovia SE 368), Porto da Folha (rodovia SE 200), São Cristóvão (rodovia SE 065).

O grande problema enfrentado pelo comando da CPRv para realizar o trabalho, vem sendo a falta de currais para acomodação dos animais nas regiões onde eles são recolhidos e a falta de conscientização dos donos dos animais em deixá-los soltos as margens das rodovias.

A CPRv informa que em caso de emergência, acidentes de trânsito, animais soltos e solicitação de auxilio nas rodovias estaduais, o condutores devem ligar gratuitamente para o telefone 198 de qualquer região do Estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário